radiadores 2

 

Sabemos da existência do radiador em nosso carro, mas você sabe qual é a sua função?

Para entender o seu funcionamento vamos comparar com o corpo humano. Quando a nossa temperatura está elevada é sinal de que estamos com baixa imunidade, fraqueza e falta de energia. No motor de um carro não é muito diferente, tal situação pode determinar o quanto de energia um motor pode fazer, como ela será executada de forma eficiente, e se ele irá ou não manter tudo junto. Temperaturas altas do sistema de resfriamento podem levar mangueiras a estourar, peças a explodir e até mesmo cabeças de cilidros e blocos de motor se deformarem. Por isso que é importante manter a temperatura da água sob controle.

Muitas pessoas tem o costume de, quando notam variação no volume de líquido no radiador, completar somente com água. Esta pode ser uma solução emergencial, mas não deve ser usada como definitiva.

Devemos entender por água o componente H²O. A água que encontramos na torneira, tem diversos outros componentes como flúor e cloro. A água mineral também não é pura. Então a água que deve ser usada nos carros é a “água deionizada” conhecida nas oficinas como “água de bateria”, pois a água de bateria possui características não corrosivas, ideal para o contato com as partes metálicas do motor.

Algumas dicas são muito importantes, se precisar completar o nível a cada semana, é porque o motor está perdendo o fluído de alguma forma, que pode não ser visível.
Nunca complete o nível até a boca do reservatório de expansão do líquido de arrefecimento. Respeite a indicação de nível máximo inscrita em relevo na peça.

Se precisar trocar a tampa do reservatório, observe qual a pressão de funcionamento dela. A tampa contém um válvula que alivia o sistema no caso da pressão aumentar muito, para proteger as vedações do motor.

E lembre-se: Cada carro tem sua tampa correta!