Pra entender um pouco a diferença entre eles é necessário entender o funcionamento do sistema de freios. Basicamente esse sistema transforma a energia cinética do movimento em energia térmica, ou seja, em calor, por meio do atrito entre os discos e as pastilhas. Porem esse calor gera fadiga dos discos e pastilhas, comprometendo o funcionamento dos freios. Quando o conjunto fica superaquecido o motorista sente no pedal a diferença no equipamento.

Nos carros, há tipos distintos de discos que se diferem pela forma que dispersam o calor.

O disco de freio solido é feito de ferro maciço, ele é mais barato porem tem baixo rendimento em situações extremas de frenagem por não ter estruturas que favoreçam seu resfriamento. Por isso são utilizadas para aplicações mais leves, como o eixo dianteiro dos compactos 1.0 e no eixo traseiro de carros maiores.

Já o modelo ventilado possui uma estrutura diferente, ele é composto por dois discos mais finos unidos por uma câmara interna, que proporciona uma passagem do ar entre eles, fazendo o processo de resfriamento mais rápido. Tais discos são encontrados nos eixos dianteiros de compactos mais potentes e em eixos traseiros de carros esportivos.

Porem esportivos com motores de alto desempenho e carros de luxo têm outra opção, que são os discos perfurados. Esses discos possuem pequenos furos que aumentam o atrito, consequentemente, o poder de frenagem, e ajudam a dispersar o calor.

A única desvantagem é o preço, discos perfurados costumam ter um preço muito excessivo, tornando-se opcionais até para carros com alto desempenho.